terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Como o cupido nos acertou - O primeiro encontro


Eu tinha marcado de sair com minha amiga Izabel no sábado, 13 de setembro de 2008. Só que eu não estava nem um pouco a fim. Inclusive pensei em inventar uma dor de barriga, contra a qual não existe argumento. Mas achei que seria falta de consideração, afinal de contas, íamos sair só nós duas e ela ficaria sozinha. Então, combinamos de ir ao Rio Scenarium, na Lapa. Saí de casa com meu carro, parei na casa dela e de lá fomos de táxi, não para beber, mas porque achei perigoso voltarmos de madrugada. Eu dormiria na casa dela nesse dia. Chegamos lá por volta de 22h, para não pegar fila, e não pegamos. Alguns caras chegaram em mim, mas nenhum me interessava, eu era muito exigente. hahaha. Fora que eu sou péssima de night, a pessoa mais lisa do mundo e não consigo ficar naquela paquerando, cruzando olhar, etc. Tanto quanto sou extrovertida para fazer amizade, sou tímida para namorar. Então resolvi ficar em um cantinho, mas nisso eu já tinha encontrado mais uma colega que queria ficar bem no corredor da passagem  para o bar.  Vi o Rafael passando, mas ele não me viu. Pensei: "Ah, esse bem que eu queria..." Fiquei nesse mesmo lugar até meia noite, 1h, por aí, mas nem esperava mais o Rafael. De repente, eu vi dois grupinhos, de um lado e  do outro, se "organizando" para alguém me abordar. Isso já me deixava em pânico, pela timidez. Abaixei a cabeça e, subitamente, ouvi pela direita alguém falando: "Olhando para você, eu me lembrei de uma música..." Quando levantei a cabeça, era ele! Não hesitei e perguntei: "Qual?" E ele começou a cantar a música "Lady in red" porque eu estava de pink, mas à noite ele pensou que era vermelho. Respondi que não conhecia a música  (na verdade, não tinha entendido nada no barulho misturado das músicas) e ele emendou: "Como não??? É um clássico!!!" E eu falei que então era ele que devia cantar mal (hahaha). Ainda assim ele quis saber meu  nome.Quando ele não fez piadinhas com o "Musa", ganhou muitos pontos, porque todos faziam. Então eu perguntei qual era o time dele, porque ele estava de vermelho e preto. Ele respondeu: "Já vi que você gosta de futebol, então acho que vou te decepcionar, porque eu não tenho time." Falei: "Claro que não, está ótimo! É porque pensei que você fosse flamenguista porque está de vermelho e preto e aí não ia dar certo... Mas qual é mesmo o seu nome? Desculpe, eu nem perguntei..." Ele: "Rafael". Eu: "Com F ou PH?" Ele: "Com F." Eu: "Que bom, porque eu prefiro assim, normal." (Cheia de intimidade. hihihi)

E nós conversamos durante muito tempo, quase duas horas, o que para uma boate é raro. Inclusive ele me falou que era engenheiro, que trabalhava em um banco e estava indo para outro, mudando de emprego (Guardem essa informação pois será necessária para o relato seguinte).

Em certo momento, o papo estava tão bom que ele, se sentindo à vontade, tentou me beijar. Eu estava muito à vontade também, mostrando que queria. Por isso ele não contava que eu fosse empurrá-lo. "Calma!" , falei. Ele respondeu indignado: "Você não está acostumada a vir para a night, não, né?!?!" E eu: "Não, calma, preciso me preparar psicologicamente." Conversamos mais um pouco e eu pedi para ir ao banheiro, avisando que voltaria (detalhe que no meio da conversa, ele também já tinha feito isso e voltado, então eu realmente acreditei que ele voltaria, como voltou). No trajeto de ida e volta para o banheiro, na minha vez, fui me preparando e deixei-o me beijar pouco depois que eu voltei. Conversamos a noite toda, descemos para o andar de baixo (estávamos em cima onde tem DJ, fomos para baixo onde é música ao vivo), dançamos muito forró e, antes de ir embora, ele perguntou o que deveria fazer para me encontrar de novo. Eu respondi que ele deveria mandar uma mensagem no dia seguinte quando acordasse, e não só quarta ou quinta, quando quisesse marcar para o fim de semana seguinte, porque era isso que as minhas amigas diziam que os caras da night faziam. Claro que ele me achou uma figura, mas, pelo visto, gostou.


Continua...


Fofucha espera não matá-las de curiosidade.

11 comentários:

Maitê disse...

Musinha !!!!!!!!!!

Eu achei a sua história muito engraçada !! rs...

Olha, para uma menina tímida, vc foi bem extrovertida viu ????

Não demore muito para contar o resto ok ??? Eu posso não resistir e morrer de curiosidade !!!

Beijinhos !

Liliane disse...

Fofucha, vc é engraçadinha contando história.
Continua logo...
Bjs, Lili

Karol Firmino disse...

To adorando a história.. rsrs
Cade a continuação? hehehe

beijos

Silvia disse...

Amei a história! Estou louca para saber a continuação!

Beijos!

Priscilla Cordeiro disse...

Ai ai ai... quero saber o resto, flor!!! Rsrs... Guardei a informação e agora quero saber o resto.

Áh! Lindos presentessss....

Beijocas e obrigada pela força mais cedo!! ;) Você é um anjinho!

BRUNA SOARES disse...

shhhhhhhhhhh vou acompanhar essa história...kkkkkkkkk

eu tb conheci o Artur na night!!! iahaiuahiauh

beijossssssssssss

Simone & Carlos disse...

Quem disse que não se conhece um amoe na night neh... vou acompanhar essa história linda e engraçada, rs
bjux

Ju disse...

hahahhaha to sentindo algo parecido no ar ;)

Mayra Caroline disse...

Oiee lindinha adorei seu blog e estou te seguindo...

Beijinhos

Mayra disse...

Hahaha, mais uma coisa em comum, eu era a lisa também!!

.: Lê :. disse...

Ooooi, adorei q visitou meu blog =)
preciso arrumar ele, o noivo vai me ajudar com o layout hehehe
tô lendo o seu desde o começo

bjoo